domingo, 27 de dezembro de 2009

Pastor, família e leais companheiros

Tratar de uma cabrada não é trabalho fácil...!

Por isso mesmo é essencial o trabalho de equipa... O Pastor Manuel é auxiliado, quando possível, pela sua esposa (Maria Helena), a sua bonita filha (Raquel) e claro o seus leais cães de gado transmontano (Socratas, Garça e Balu)!


Ainda dentro deste espírito Natalício deixo-vos algumas fotos desta grande equipa:











quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Vida de pastor...

Depois de muita confusão conseguimos (finalmente!) encontrar um colaborador/pastor a tempo inteiro, que além de jeito e muito saber, também tem gosto pelo que faz, o Pastor Manuel!

Poeta da natureza, respira o ar puro de montes e vales, trata os seu rebanho e auxiliares da missão (Os cães de Gado Transmontano) com carinho e eficácia.

Deixo-vos o video da saída da cabrada nos dias de neve:

video

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

É dia de fazer o fumeiro...!!

Trabalho prévio:
1. Levantar cedo!
2. Cortar pão em fatias finas;
3. Picar as carnes, previamente cozidas com ervas aromáticas recolhidas no campo no final do Verão;
3. Preparar as tripas, cortar e atar baraço a uma das extremidades.

Trabalho do momento:
4. Juntar Carnes, Pão e água da cozedura das carnes!

5. Adicionar alho cozido, azeite a fever e mexer muito bem mexido.

6. Deixar a massa a descansar (aproveitar para almoçar, para ganhar energia!!)


7. Encher as tripas:
Elemento A) vai abrindo as tripas;

Elemento B) vai enchendo a máquina com a massa;
Elemento C) encaixa a abertura da tripa na máquina* e liga-a. (elemento C' vai picando a extremidade, quando existe ar)

Elemento D) dá o nó na outra extremidade da tripa.

8. Pendurar as alheiras para secar.

9. Lavar a loiça suja e todo o espaço de trabalho.

(Homens transmontanos a lavar a loiça é uma raridade...!! Mas deve ser vivamente encorajado!!)
RESULTADO FINAL: 13 dúzias....!!!
(ufa.... que trabalheira...)
_________________________

*Nota - A máquina já é da nova geração... Na forma tradicional (com o funil) ainda demora mais tempo....
E para terminar deixo a frase que me foi ensinada hoje pela pequena Júlia: "Às 9h janta o rico e deita-se o pobre."

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

É bom acordar assim...



"Batem leve, levemente,
como quem chama por mim.
Será chuva? Será gente?
Gente não é, certamente
e a chuva não bate assim.

É talvez a ventania:
mas há pouco, há poucochinho,
nem uma agulha bulia
na quieta melancolia
dos pinheiros do caminho...

Quem bate, assim, levemente,
com tão estranha leveza,
que mal se ouve, mal se sente?
Não é chuva, nem é gente,
nem é vento com certeza.

Fui ver. A neve caía
do azul cinzento do céu,
branca e leve, branca e fria...
Há quanto tempo a não via!
E que saudades, Deus meu!

(...)

Augusto Gil - Balada da Neve


sábado, 19 de dezembro de 2009

Jantar de Natal em Alfaião*

Finalmente de regresso ao paraíso, onde as pessoas são diferentes, a comida tem um gosto diferente e temperatura é extremamente diferente fomos convidades pelo Sr. Presidente da Junta de Alfaião para o anual "Jantar de Natal da Comunidade de Alfaião" .

Fantástico!

Chegámos às 19h ao local combinado e deparamo-nos com um aglomerado de homens (e algumas poucas mulheres) à volta de uma grande fogueira com troncos de árvores a arder (lenha que dava para as próximas 24h...!); era a altura de socializar, enquanto grandes tachos fumegavam com algumas brasas da grande fogueira.

Após um sinal discreto as pessoas começaram a encaminhar-se para dentro da sala.

Embora o convite tenha chegado da mesa dos "presidentes", conseguimos sentar-nos num cantinho da sala, onde nos sentiamos melhor.

Para começar havia rabanadas, bolo-rei, pão, sumos e vinho (claro!) na mesa. Começaram a chegar Senhoras com tabuleiros de bacalhau cozido e outras com couves, batatas, cenouras, rabanos...

Ao chegar a nossa vez estavam as postas de bacalhau um pouco amassadas e estavam a fazer-se de difíceis para ser agarradas pelas pinças da Sra que nos servia, mas estamos em trás-os-montes, logo após algumas tentativas de colocar a posta de bacalhau do meu prato a Sra disse:
"Bôu, estás-te a fazer de díficil?! Já bais a ber!!"
Dito isto, deixa as pinças de lado e com a mão livre pega na minha posta de bacalhau e atira-a para o meu prato... Daí em diante, deixou de parte as pinças e recorreu sempre a este método mais "manual"... (não é preciso a ASAE ficar alerta, porque a dita senhora andou sempre com uma luva... e o meu bacalhau estava muito saboroso...!)
Comemos até não conseguirmos mais....! (que o diga o "Senhor Doutor" que tinha de ter sempre o prato a transbordar!)

A acompanhar o cafézinho (e o bagaço) veio o discurso.....ligaram o microfone... e o quadro da electricidade foi abaixo... Voltaram a ligar as luzes... ligaram o microfone... e o quadro foi abaixo... (este ritual repetiu-se 5 vezes, até que o Sr. Presidente decidiu falar bem alto para o seu povo...)

Políticos.... logo, começaram os agradecimentos, seguiu-se uma reza, novo discurso político, passou a palavra ao Sr. Presidente da Camara de Bragança e para finalizar a distribuição de prémios pela varanda mais bonita da aldeia!!

Foram chamadas 5 mulheres para receberem 25 € por terem as suas varandas floridas e bem arranjadas...! Fantástico!

Ainda foi dado um outro prémio de 50 € para a última criança que tinha nascido na aldeia!

Pensando eu que a noite estava terminada, após o final do discurso de distribuição de prémios um conjunto de mulheres de idade considerável, iniciaram uma música de despedida para os convidades, sem música de fundo nem nada...! Parecia música de igreja na verdade... Muito engraçado.

Na tentativa de ir embora, após as obrigações sociais, abandonámos o local quando se iniciava uma "concerto" de músicas de Natal com um Senhor e o seu acordeão...!

É bom estar de volta a este ambiente, a esta vida, a esta paz..!




* Alfaião é uma pequena aldeia, depois de S. Pedro.

terça-feira, 7 de abril de 2009

Escapadela Pascal!!

Depois de muitas tentativas falhadas de arranjar um tempinho para vir ao, tão desejado, Norte (!) tornou-se possível, nesta época Pascal fazer esta viajem de relaxamento e renovação espiritual...


Aproveitando a altura dos folares e a pausa lectiva consegui, embora com "escassa" companhia, tirar uns sagrados 5 dias de férias da agitação e revolução Lisboeta!


Mesmo sendo férias relativas (pois as obrigações e deveres têm sempre de ser cumpridos) é com satisfação que me junto aos cachorros, aos cabritos, aos gatinhos e restantes seres vivos brigantinos...!


Como é habitual nestas viagens à terra distante e, ainda para mais, estando totalmente por conta própria, é uma altura excelente para desvendar capacidades escondidas pela falta de tempo do dia-a-dia...


Desta vez foi altura para testar o famoso arroz de couves... ou.. couves com (algum/pouco) arroz que já fez as delícias de muitos visitantes... e claro, como não podia deixar de ser, acompanhado pelo bacalhauzinho cozido....!


Para começar não está nada mal..!!! =D